quarta-feira, 28 de março de 2012

"Surto Terapêutico"

Postado e Escrito por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens

Uma vez eu li na internet que uma das vantagens de se ter um blog é a possibilidade de contribuir para formação de opiniões. Bem! Quando eu pensei em escrever este post eu não sei bem se a minha idéia era formar uma opinião "tão descontrolada" nas pessoas, mas pensando que quem me lê tem o livre-arbítrio de usar ou não a minha opinião para formar a sua eu resolvi escrever mesmo assim. Vou escrever sobre algo que eu nomeei de "surto terapêutico".

Como eu disse é algo de "total descontrole", mas as vezes chego a conclusão que mães precisam disso. Que atire a primeira pedra a mãe que nunca teve um "surto terapêutico"!  Mais do que isso... além de atirar a pedra quero te desafiar a contar para  nós o seu segredo de nunca ter "surtado".

Sabe? Pra começar o assunto, queria saber porque mães precisam falar mais de mil vezes a mesma coisa. Porque falar uma única vez não é o suficiente? Eu falo uma, duas, três, mil vezes... Então começo a gritar feito uma "louca ensandecida" e como num passe de mágica sou ouvida. A isso chamo de "surto terapêutico". Terapêutico pra mim que consegui me fazer ouvir e terapêutico para os filhos que "conseguiram obedecer".

Tudo espalhado pela casa um dia, dois dias, três dias, mil dias... um dia guardo tudo, no outro peço para guardarem, no outro explico porque temos que ajudar em casa e no outro faço algumas ameaças sobre não guardarem as roupas, brinquedos e calçados... Então o "surto terapêutico" se faz novamente necessário. Sair pela casa com um saco de lixo nas mãos recolhendo tudo o que acha na frente com cara de homem do saco surtado e repetindo frases visivelmente neuróticas, tais como: "só eu faço tudo por aqui", "não aguento mais essa vida", "ninguém me ajuda", "eu trabalho o dia inteiro e é isso que eu ganho", etc, etc, etc... Super terapêutico!!! Filhos com cara de medo, pedem desculpas, guardam tudo, prometem que nunca mais vão fazer isso e garante mais ou menos uma semaninha de casa um pouco mais organizada. Ótimo! Todos estamos no lucro. 
(Conheço mães que em ocasiões como esta realmente colocaram tudo no lixo. Será que um dia eu chego a esse nível de "surto"?)

E aquele choro/birra sem motivo aparente? Você conversa, tenta acalmar, coloca no colo, ignora... Nada resolve. Sabe o que você faz? Age como uma "abobalhada, imatura e infantil", começa a chorar e a imitar a birra do filho na mesma intensidade e desnecessaridade que ele. É batata!!! Pára de chorar na hora, sente-se envergonhado e de quebra ainda te consola por ficar com tanto dó do seu descontrole.

Nossa! Acho que poderia citar ainda várias ocasiões de "surtos terapêuticos".

Se depois do "surto" eu pondero que não precisava de tanto e me sinto um pouco culpada??? Com certeza SIM!

Se o descarregamento da raiva e do estresse me causam certo alívio e me dá forças para recomeçar? Com certeza SIM também! 

UFA! Então estamos empatados.

Se você quiser nos contar um de seus "surtos terapêuticos" sinta-se a vontade. Novas idéias para "surtarmos" serão sempre bem vindas.


Obs.: Este post é uma ironia aos corriqueiros acontecimento diários. Em nenhum momento tenho por objetivo fazer apologia a comportamentos de descontrole que possam colocar em risco a integridade física e mental de nossos filhos. Além disso usei a palavra "surto" de forma simbólica, mas gostaria de lembrar que o surto (acesso como fúria ou crise epiléptica, em que ocorrem momentos de inlucidez) é um sintoma grave que quando ocorre com frequência pode ser indicativo de uma doença psiquiátrica precisando ser avaliada e tratada por profissionais competentes. É importante lembrar ainda que situações constantes de explosões e excesso de intorlerância podem indicar doenças como estresse e depressão, também sendo necessário a busca por tratamento com profissionais especializados.  

23 comentários:

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Renata, amiga, estou lendo e rindo e balançando a cabeça! SIM, EU TENHO SURTOS TERAPÊUTICOS!!!

Eu tenho uma leve desconfiança que os filhos (todos eles) são como maridos: tem surdez seletiva! Só escutam o que querem, então, um surtinho vez por outra ajuda na audição dos coitados....rsrsrsrsrs

Mas piadas à parte, eu tento me controlar, afinal filho nenhum merece uma mãe descontrolada, né? Mas nem sempre é possível o que não é um pecado pois somos humanas e nossos filhos precisam aprender que nós temos limites!

Beijos
Syl
http://minhacasinhafeliz.blogspot.com.br/

Renata Palombo disse...

Syl, acho q "surdez seletiva" merece ser tema de outro post!! Rsrsrsrs

Juliana disse...

Mti bom e real...
Mas estou numa fase q antes de comecar a surtar estou compreendendo e perdoando os surtos da minha mae...

Karina disse...

Kkkkkkkk parece que foi escolhido a dedo este post pra hj porque há exatamente uma e hora e meia atrás era exatamente isto que eu estava fazendo: tendo um "surto" dentro do carro a caminho pro médico com meus filhos. Sabe, eu sou muito contra isto, e confesso que qdo acontece comigo é por total descontrole mesmo, quisera eu conseguir ter domínio sobre mim nestas horas mas é incontrolável ... eu tento manter a calma mas eu vou falando e me lembrando que já falei as mesmas coisas em outros dias e milhares de dias por milhares de vezes e viu me irritando por estar falando novamente e por perceber a total falta de respeito e obediência e a medida que vou me enervando vou aumentando o tom de voz. Hj especialmente o motivo foi chegar no meio do caminho e perceber que meu filho nao estava com o aparelho ortodontico mA boca e pior... nem tinha trazido. Agora vcs imaginam qtas vezes antes de sair de casa eu falei pra ele escovar os dentes e colocar o aparelho?? Pois é... Me sinto uma louca e verbalizei isto com eles, fico mto mal ate pq segundo a autora Ellen White em Orientação da Criança esta é uma atitude totalmente reprovável no processo da educação e formação do caráter. Então oro pra que Deus me ajude a ter paciência e controle emocional, especialmente nas semanas que estou de TPM com é o caso de hj...

JACK ROSA disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK me vi catando tudo com cara de braba.... e quando minha filha era pequena eu também já surtei chorando junto..me acabei aqui de rir...bjkss JACK ROSA

Juliana disse...

Ta bom eu confesso... Um dia chorei mais alto q meu bb na esperanca dele parar...rs e ele parou. Ponto pro surto terapeutico rs

Ane disse...

Adorei o post. Adorei ainda mais a explicação no final rs.
Eu chamo o surto terapêutico de momento "chutar o guarda roupa", uma vez com o marido fiquei tão enfurecida que fui pro quarto e chutei o guarda roupa..DUAS VEZES! Depois me senti idiota, e descontrolada, ÓBVIO! rs
Beijos

Rosangela Vali disse...

Amiga! Um dia uma amiga de trabalho fez um comentário parecido com a sua opinião...toda mãe surta...nem adanta negar. É verdade...acabei de ter um surto com m eu pequeno...ruim prá mim, fico nervosa e ruim prá ele que me vê transtornada. Não gosto disso não. Mas como somos humanos com sentimentos a flor da pele, num mundo cada dia mais carregado nas rotinas...impossível não surtar.
O ideal é se controlar...buscar novas formas...vou pesquisar...qualquer coisa, envio prá vc. Vc me deixou desafiada.
Isso é bom...com desafios e curiosidades a gente cresce.
Bjos, fica com Deus.
Já tô seguindo por aqui.
Até mais!

http://rosangelaprendizagem.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

o meu surto não é nada terapeutico kkkkkkkkkkkkkk é difícil aqui em casa acontecer,eu não permito desordem por dois motivos, primeiro sofro de TOC por limpeza e segundo,não tenho empregada e mesmo que tivesse ela seria minha ajudadora e não deles kkkkkkkkkkk o meu marido diz que vai me filmar qualquer hora surtando kk mas eu sou sozinha pra tudo e quero q mantenham como encontraram! kk beijos

Bianca Vinagre E Silva

Anônimo disse...

hahaha amei o post ! estes dias que estava na TPM tive varios, em um deles descasquei o abacaxi as seis e meia da manha só pq encontrei balas escondidas na cama, dps fiquei morrendo de dó da minha filha ir para a escola com a cena da mae surtada na cabeça logo cedo...

Katia Batista Goncalves

gisele disse...

Bah!! Estas me descrevendo!! Sou assim tb.. e o mais engraçado e que me irrita bastante, é q meu marido só fala um vez e pronto, todos obedecem e eu preciso me descabelar pra ser ouvida!!! Já coloquei brinquedos fora, no saco de lixo! Após guardar sozinha centenas de quebra-cabeças de letras e números eu avisei q a próxima vez q ninguém guardasse iriam fora, e foram (na verdade doei para uma Instituição de acridade q vende coisas para conseguir $$)! Eu muitas vezes me sinto desesperada, presa num corpo de mãe-dona de casa que não sonhei... não me entenda mal, sempre quis ser mãe (dona de casa não), mas as vezes é tão complicada... fazer tudo erpetidas vezes e sem muito sucesso, pq logo em seguida tá tudo igual e bagunçado, outra vez!!! AMEI o post! Abraços, gisele

Renata Palombo disse...

Gi, aki meu marido tb só fala uma vez... Rsrsrsrs
Não te entendo mal não. Eu tb me sinto assim as vezes...

Adriana Engelmeyer disse...

Kkkk....desculpa mas foi engracado.....eu fico assim principalmente na tpm.....kkkk

Jesus te ama! disse...

muito bom ksksksks!!!

Patrícia disse...

kkkk..eu não vejo a hr de ter um surto terapeutico...kkkkkk

AMEI!!!!!

Patrícia disse...

Kkkkk...eu não vejo a hora de ter um surto terapeutico!!!!


AMEI!!!

kkkk

Chris Ferreira disse...

Oi Renata,
Ri demais lendo seu post. Claro que eu tenho surtos terapêuticos e achei o máximo o seu texto!
Beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

Regiane Fiordelisio disse...

Valeu, Renata!
Eu às vezes já fiz birra junto com minha filha de 3 anos e meio (e ela parou pra me acalmar), mostrei lingua prá ela, peguei boneca prá brincar sozinha, etc.
Sabe que essas trocas e inversões é muito bom, é lúdico, leve, alegre, nos acalma e diverte eles tb.
Beijos,
Regiane Fiordelisio

Rita disse...

Cada pessoa com seu jeito,seu desejo
mostra no seu espaço ,o que sente,o
que gosta e o que vive,e aqui vejo o que tem de belo,e vc tem tudo que eu admiro,Adoro visitar seu Blog,pq me
traz alegria.
Tenha um bom final de semana bjuss
com carinho Rita!

Gabby Estevão disse...

Adorei o blog..Estou seguindo..

Aproveito para convidar a participar do sorteio:
http://gabbyestevao.blogspot.com.br/2012/04/sorteio-cachecol-ate-dia-1305.html

beijos

gabbyestevao.blogspot.com.br

Pr. Sérgio Santeli disse...

Muito bom seu texto Renata...

Cris Fagá disse...

Bom.. eu ja tinha lido o post, claro. E resolvi reler. E voce acredita que esta semana eu tive um dos chamados "surtos terapeuticos"? O meu mais velho de 16 anos nao esta ajudando em nada. Peço para ele lavar a louça e a resposta: - depois...
Gui, varre a casa para mim? - Depois
Gui, pega a sua mochila do chao? - Depois
o problema é que o depois nunca chega.
Entao, na quarta-feira, eu pedi para ele lavar a louça. A resposta voce ja sabe qual foi, né? Ai eu surtei.
- Depois nao... AGORA!!!!! E de agora em diante, o senhor nao sai mais de casa pra nada, nem para fazer liçao na casa do amigo sem a minha permissao. Nao liga o video game sem a minha permissao, nao pega o pc sem a minha permissao... (E eu realmente gostaria de dizer que falei tudo isso em um tom calmo, serio e sereno, mas infelizmente nao foi... acho que até o vizinho da rua de tras escutou... sorte que nao deve ter entendido por eu ter gritado tudo em portugues...rs...)
E, desde quarta, quando ele me pede as coisas a minha resposta està sendo: - DEPOIS.
E ja esta funcionando porque tudo o que eu tenho pedido ele tem feito na hora...
Agora me responde: - Por que a gente tem que fazer isso para se fazer ouvida?????? Nao entendi ainda.

Renata Palombo disse...

Boa pergunta Cris!! Pq precisamos chegar a isso??? Quem sabe um dia os cientistas não descubram esta resposta?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...