quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Casal Americano aguarda o nascimento do 20º filho

Postado por Renata Palombo
O casal Jim Bob e Michelle Duggar, famoso nos Estados Unidos por sua numerosa família no programa de TV "19 Kids and Counting" (19 Crianças e Contando), anunciou nesta terça-feira que aguarda o nascimento de mais um filho.

Michelle, de 45 anos, confirmou sua gravidez com uma mensagem no site oficial da família, e disse que dará à luz em 2012. "Depois do nascimento de Josie (sua filha número 19), não sabíamos se poderíamos ter mais", disse ela, que correu risco de vida, assim como sua filha, que nasceu prematura em um quadro de pré-eclâmpsia.

A mulher fez menção ao ocorrido dizendo que "aquela experiência foi uma das mais aterrorizantes" pelas quais ela e sua família passaram, mas dá graças a Deus por esse "milagre". "Há muitos anos, Jim Bob e eu decidimos entregar a Deus este aspecto de nossas vidas, e cada um de nossos filhos está agradecido por estar aqui. Nosso objetivo é ensiná-los a amar Deus e servir ao próximo", disse.

O casal, que vive no estado de Arkansas e teve há dois anos seu primeiro neto, garante jamais ter utilizado métodos anticoncepcionais. Autodenominados "cristãos conservadores", Jim Bob e Michelle têm filhos em idades compreendidas entre 23 e 2 anos, todos com nomes iniciados pela letra "J".

O casal explicou em seu site que a Bíblia os guia diariamente, e que o livro sagrado dos cristãos "contém todas as respostas para as perguntas sobre a vida", como, por exemplo, a procriação.

"Confiamos que o publico sabe que somos pessoas normais, com nossas fragilidades e imperfeições individuais, mas servimos a um Deus extraordinário que se compadece ao demonstrar seu poder", disseram os Duggar. EFE

Fonte:http://br.noticias.yahoo.com/casal-americano-aguarda-nascimento-20-filho-221647959.html

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Nas entrelinhas

Postado e Escrito por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens 
No culto da manhã de ontem o pastor iniciou o sermão dizendo que a vida não é do jeito que a gente quer, mas sim do jeito que ela é, em seguida ele falou que nós (seres humanos) conseguimos ler apenas o que está escrito nas "linhas" da vida, mas Deus escreve também nas "entrelinhas".

Um dia antes eu e meu marido falávamos exatamente sobre isto pensando em como é nossa vida hoje.

Lendo as "linhas" da nossa vida, quem podia prever o que Deus estava escrevendo nas "entrelinhas"? O que Ele escrevia fez "cair por terra" muitos planos, sonhos e expectativas não somente nossos, mas também de nossos pais, irmãos, amigos e até de meros conhecidos. Mas a vida não é como a gente quer, é como ela é!!!

Muitos "leram" as "linhas" da vida de nossos filhos e sentiram compaixão, dó, pena e até desesperança... mas Deus também estava escrevendo nas "entrelinhas" da vida deles.

Certamente, ainda hoje, muitos olham para nossa vida e não conseguem "ler" o que está escrito (acho que as vezes a gente também não).

No sermão o pastor falou também que as "entrelinhas" é aquela fase da vida em que não conseguimos entender o porque as coisas estão acontecendo e nem para que. As vezes essas fases são aquelas bem dificeis, mas depois que passam entendemos o porque delas precisarem ter sido escritas.

Mas tenho certeza que ontem de manhã, ao vermos a Naty tomando uma decisão tão importante em sua vida, conseguimos "ler" muitas coisas que estavam escritas apenas nas "entrelinhas" e mais uma vez pudemos comprovar que os planos de Deus são maiores do que os nossos!!!

Eu agradeço a todos os nossos familiares e amigos que puderam estar presentes na programação de ontem e a todos os familiares e amigos que muitas vezes não conseguiram ler as "linhas" de nossas vidas, mas que ainda assim ficaram do nosso lado... O testemunho da minha filha no dia de ontem certamente alcançou muito mais vidas do que eu sozinha poderia alcançar.

Eu nao sei o dia de amanhã... não sei onde eu estarei... não sei onde ela estará... mas sei que Deus continuará escrevendo nas ENTRELINHAS...

Que nós possamos sempre confiar em Seu poder!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Família

Postado por Renata Palombo
"Escrito" por Diego

domingo, 20 de novembro de 2011

Grávida no Coração

Postado por Renata Palombo
Escrito por  Paula Pinto da Silva


Recebi por e-mail e decidi publicar:

- Mãe, gostas de mim?
- Gosto de ti até ao céu, meu filho…

- Mãe, se eu tivesse estado na tua barriga, gostavas mais de mim?
- Não, meu filho, porque haveria de gostar? Tu estiveste dentro de mim,
no meu pensamento e no meu coração… O meu desejo de te ter, de te pegar, de ver o teu rosto era tão grande como uma barriga de grávida.

- Mãe, então tu dizes que gostas tanto de mim, que sou teu filho adotivo, como do meu irmão, que é teu filho biológico?!
- Claro que sim! Quando estava à espera do teu irmão, sentia-me feliz porque ia ter um filho, não porque a minha barriga estava a crescer. Há muitas maneiras de ter filhos: na barriga, no coração…

- Mãe, grávida no coração??? O coração não tem filhos!!!
- Tem filhos sim! E foi lá que tu nasceste, é lá que estás a crescer e onde vais ficar! Para qualquer lado aonde vá, levo-te sempre no meu coração.

- Ah! Então é mais importante ter amor de uma mãe do que nascer da sua barriga?!
- Claro, meu filho! Mãe é aquela que chora quando estás doente, que te pega ao colo mesmo quando lhe doem as costas e que te dá o beijo de boa noite… O pai não engravida, no entanto, ama os filhos desde o primeiro momento e para sempre!

- Pai, mas eu não sou parecido contigo!
- És parecido comigo, sim! Tens o meu nome e és um bocadinho daquilo que eu sou, daquilo que eu gosto, daquilo em que acredito e que respeito. Até falas como eu!

- Pai, e os genes?
- Se um dia quiseres ser músico, atleta ou escultor; Cantaremos juntos, faremos corridas na praia com os teus irmãos e até encheremos a casa com barro. Tu não precisas saber quais os teus genes. Precisamos é de estar juntos para os descobrir…

- Mãe, e a minha história?
- A tua história és tu quem vai fazer. A tua história somos nós… tu, eu e o teu pai, os teus irmãos, avós, tios, primos; todos os que estão aqui ao teu lado, orgulhosos, a ver-te crescer lindo e feliz!

- Mãe, porque me adotaste?
- Porque queria ser mãe!

- ENTÃO, ÉS TU A MINHA VERDADEIRA MÃE!!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O que eu virei???

Postado e Escrito por Renata Palombo
Depois que eu virei mãe eu acho que virei também uma "coisa" que eu nao sei que nome tem.

Ontem foi feriado... um feriado prolongado...

Eu acordei com alguém falando "mãe" e quando eu abri os olhos eu vi uma mão fechada com uma canetinha no meio de cada dedo, fazendo uma espécie de mão com garras (sei lá o que era aquilo)... antes mesmo que eu pudesse falar qualquer coisa veio a pergunta: "Mãe, você sabe como escreve Wolverine?" Imaginei que aquela era a mão do Wolverine... Pensei: "Quem é Wolverine? Acho que além de mãe eu virei também uma espécie de adivinha".

Depois que eu levantei, lavei louça, fiz comida, lavei louça, guardei as compras, lavei louça, almocei, lavei louça. Coloquei a roupa de molho e tentei esfregar freneticamente cada roupa do Diego que estava marrom, mas que era de qualquer outra cor... não aguentei esfregar toda a roupa... pedi ajuda do marido... bati 3 máquinas de roupas e fiz um malabarismo para conseguir estender tudo em uma apartamento minúsculo. Pensei: "Eu fazendo tudo isso no feriado? Acho que virei dona de casa."

Mas pra falar a verdade eu acho que estou longe de ser dona de casa, porque fiz tudo isso que escrevi acima, mas acordei as 13:00h, entrei no meu facebook, li todos os meus emails, joguei um joguinho  no computador, dei atenção pro marido, assisti um filme na HBO Family e um pedacinho de "Fina Estampa"... Pensei: "Fiz tudo isso num único dia? Acho que eu virei multiplicadora de tempo".

Quando tudo parecia tranquilo, já seguindo para a hora de dormir, lá por volta das 21:00h chegou a Natalia do acampamento da igreja com lama até no pescoço. Roupas, bolsa, mala, cobertor, calçado... tudo a "pura lama"... Quis chorar... Eu e meu marido simplemente começamos tudo de novo... esfrega roupa, poe maquina pra bater, acha lugar no apartamento para estender, poe o Diego no banho, coloca na cama, conta história, ajuda a Naty a organizar algumas coisas... Pensei: "Acho que virei louca".

O feriado se foi... Meus filhos estão aqui... felizes por tudo o que viveram nos úlitmos dias cheios de atividades para os dois (acampamento, visita a casa dos amigos, festa de aniversário, passeio no shopping...).

Agora, 1 hora da madrugada, estou aqui escrevendo este post, esperando a ultima máquina de roupas parar de bater e senti orgulho do que virei. O que eu virei??? Acho que não virei nada além...

Pensei: "Acho que não virei nada além de somente MÃE!!!

domingo, 13 de novembro de 2011

Queremos viver todas as Fases

Postado por Renata Palombo
Escrito por Carmen Barcat
Fonte: Google Imagens

Muitas pessoas temem a adoção tardia justificando que querem viver todas as fases dos filhos... não querem perder as "primeiras vezes". Neste texto Carmen expõe de forma muito especial que sempre haverá primeiras vezes e que sempre serão maravilhosas! Leia e se emocione!

"As crianças maiores necessitam de muitos cuidados maternos e paternos. Temos muito a lhes ensinar, ainda que não sejam bebês. Algumas coisas nos são tão corriqueiras, parecem-nos tão comuns, que não imaginamos que sejam desconhecidas de nossos pequenos.


Meus filhos não conheciam muitas frutas e comidas. A Raquel, por exemplo, não conhecia pêra. Imaginem, então, frutas como figo, jabuticaba, kiwi e tantas outras que ela adora! Nunca vou me esquecer de uma de nossas primeiras refeições, um almoço simples (arroz, feijão, bife e farofa) e a frase dita com os olhinhos brilhando: “Nossa! Parece Natal!”


O primeiro mês com um “bebê” de 7 anos e 3 meses em casa? Não dormi direito nenhuma noite e acordei bem cedo até nos finais de semana. Qualquer barulhinho, eu pulava da cama para verificar se estava tudo bem.

Banhos e cuidados de higiene? Sim! Muitos banhos da mamãe e do papai nos bebês de 7 e 8 anos. Ensinamos a escovar os dentes direitinho e limpamos os bumbuns também!

Xixi na cama? Trocas noturnas? Chupeta e mamadeira? Sim! Passamos por tudo isso!

Escola? Vivemos tudo! A separação, a adaptação... Terminei de alfabetizar a Quel e estou alfabetizando o Davi. Acompanho diariamente a aprendizagem dos três.

Ensinei e ensino muitas brincadeiras, cantigas, histórias...

“Bebê” dodói? Sim! Já passei noites sem dormir, medindo febre, medicando, com o coração na mão.

Colinho? Canções de ninar? Sim, sim! Meus bebês adoram que a mamãe cante para eles dormirem!

Reunião familiar para conhecer e paparicar o novo bebê? Sim!

Vivemos a alegria de preparar o quarto, o enxoval, escolher brinquedos, livros, CD de cantigas...



Os primeiros passos? Sim! Nós vimos e sentimos intensamente os primeiros passos de nossos filhos em nossa direção. Bem, na verdade, quando nos vimos pela primeira vez como mãe e filho, o Davi veio correndo aos meus braços!

A primeira viagem, o primeiro desenho no cinema, a primeira peça teatral! Os olhinhos brilhando, o sorriso imenso ao avistarem o mar pela primeira vez! Tudo isso vivemos com nossos “bebês”!

E a emoção do chamamento tão esperado? Ah, sim! Fui privilegiada pois não tive de esperar meses e meses... no primeiro dia em nosso lar, eu ouvi: Mamãe!."

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Diferenças de Gênero e Idade

Postado e Escrito por Renata Palombo
Menino futebolMenina celular

Chá de bebê da tia:
Natalia - Teclando no Celular
Diego - Jogando refrigerante nas lâmpadas do jardim para ver sair fumaça

Bolinha de papel caída no meio da sala:
Natalia - "Não vou levantar daqui pra jogar esse papel no lixo de jeito nenhum. Vou fingir que nem vi"
Diego - "Oba! Vou jogar futebol! Onde pode ser o gol?"

Na igreja:
Natalia - "Posso almoçar na casa de fulana(o) depois do culto?"
Diego - "Falta muito para acabar esse culto?"

Mc´Donalds:
Natalia - Big Mac
Diego - Mc lanche feliz "com brinquedo"

Na rua:
Diego - "Olha! Um carro igual do tio Binho"
Natalia - "Carro? Que carro? Aonde?"

Internet:
Natalia - MSN, Orkut, MSN, Facebook, MSN, ..., MSN
Diego - Youtube (Melhores gols da semana)

Televisão:
Natalia - Uma rosa com amor, Cristal, Amigas e Rivais, Esmeralda...
Diego - Futebol (Qualquer time contra qualquer time)

No celular:
Natalia - Teclando
Diego - Jogando

Se vestindo:
Natalia - "Mãe, eu não tenho roupa!"
Diego - "Mãe, porque você quer escolher sempre uma roupa diferente?"

No cinema:
Natalia - Comédia Romântica
Diego - Ação em 3 D

Lição de Casa:
Natalia - Sozinha
Diego - Nem sozinho e nem acompanhado

Comida desconhecida:
Natalia - "Eu não gosto"
Diego - "Posso experimentar?"

Passeio em Família:
Natalia - Letargia (nem sempre)
Diego - Energia (sempre)

Quem fez isso???
Natalia - "Eu não!"
Diego - "Eu não!"
Fredinho - "Au, au, au!" (Tradução: Eu não!)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Supernanny afirma que tudo sobre a educação dos filhos está em Provérbios

Postado por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens
A educadora Cris Poli, conhecida por orientar famílias no programa de televisão Supernanny, foi a uma das palestrantes no 2º Encontro de Educadores/2010 realizado em Barueri, Cidade da Grande São Paulo.

Segundo a protagonista do reality show do SBT, que já recebeu mais de 30 mil pedidos de ajuda, “as famílias cristãs estão tão perdidas quanto as que não são cristãs”. Na opinião de Cris, os princípios bíblicos – que deveriam balizar a educação – não têm sido colocados em prática mesmo em núcleos familiares cristãos. “A família precisa viver a Palavra de Deus”, destacou.
A educação, de acordo com ela, tem passado por uma fase de equilíbrio entre a rigidez e a permissividade. “Precisamos de regras e rotinas, mas sem esquecer o amor e a flexibilidade”, explicou a orientadora. “Eu me pergunto onde está a Palavra de Deus nessas famílias cristãs em coisas simples, como agradecer por uma comida e orar antes de dormir. É o beabá da educação”, relatou a instrutora que possui mais de 40 companheiras de profissão à frente de programas Supernanny ao redor do mundo.

“Se você quer saber sobre educação de filhos, pode ler o livro de Provérbios que está tudo lá. Cada pensamento de Deus está lá”, expressou. Ter voz de comando, organização, qualidade de tempo com os filhos e cumplicidade entre os pais, foram algumas dicas da superbabá que o pastor Creusi Santos, da 1ª Igreja Batista de Barueri, irá procurar passar para a sua família, que ganhará um novo integrante em breve.

“Eu não concordo muito com a perspectiva da psicologia sobre a educação das crianças. Ela tem uma visão muito legal, porque a Bíblia tem uma visão muito mais equilibrada em termos de educação”,observou.

Prestes a completar cinco anos visitando casas pelo reality, com o contrato renovado por mais um ano com a emissora de Silvio Santos, Cris Poli dedicou a Deus o que considerou como sendo uma reviravolta na sua vida.

“Estou aqui pela graça e misericórdia do Senhor. Até 2005 eu era uma educadora que trabalhava numa escola de educação cristã bilíngue. Deus ‘moveu os pauzinhos’ e me convidaram para trabalhar no SBT”, disse Cris que, em virtude do sucesso do Supernanny, passou a escrever livros e a dar palestras.

Fonte: Guia-me/ com citação Notícias Cristãs

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Impedida de Ser Mãe?

Escrito e postado por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens

Na arrumação da casa encontrei um material da pós graduação que eu fiz em 2004 na área de psicologia hospitalar. Nesse material tinha os resumos das monografias apresentadas de todos os alunos da turma. Óbvio que eu já não me lembrava de quase mais nenhum trabalho, mas fui relembrando conforme fui folheando o material.

Dentre os temas das monografias encontrei um que me chamou a atenção, cujo o título era: "Impedida de ser Mãe". Lembrei-me que o trabalho tratava sobre as questões emocionais de mulheres com problemas de infertilidade. Lembrei-me também que a autora da monografia havia escolhido o tema baseada em sua própria história de vida, onde já havia passado por alguns tratamentos fracassados para engravidar, incluindo abortos.

Na época eu devo ter achado interessante o tema dela e talvez até admirado sua "coragem" de estudar academicamente sobre si mesma. Mas hoje eu senti tristeza no coração em pensar que milhares de mulheres que sofrem de infertilidade sentem-se, assim como ela, impedidas de serem mães.

Algumas conseguem engravidar logo nas primeiras intervenções clínicas para infertilidade, outras não. Tratamentos de fertilidade são, na grande maioria, longos, desgastantes, doloridos e custosos. Interferem no corpo, no humor, no trabalho, na família. Certamente cada mulher/casal tem o seu limite do quanto está disposta(o) a suportar para conseguir engravidar. E de quanto tempo estão dispostos a esperar também.

Mas eu fiquei pensando de que infertilidade esse trabalho tratava. Será que da infertilidade física ou emocional? Se o sonho é ficar grávida a infertilidade física certamente pode impedir de realizar este sonho. Se o sonho é ser mãe, a infertilidade emocional certamente pode impedir de realizar o sonho. Qual das duas infertilidades deve ser tratada?

Eu nao sei que rumo tomou a vida dessa colega de pós graduação. Eu não sei se ela conseguiu engravidar, se conseguiu ser mãe, se desistiu de tudo... Eu sei que se eu voltasse no tempo e pudesse lhe dizer algo sobre o assunto eu diria o seguinte: "Se seu sonho é ficar grávida faça tudo o que estiver ao seu alcance, tudo! Pague o preço que for, passe por quantas intervenções médicas forem necessárias e possíveis, porque no dia em que você conseguir engravidar tudo terá valido a pena! Mas se o seu sonho for ser mãe, não se sinta impedida, você pode encurtar o caminho... "

Tem pessoas que podem realizar o sonho da maternidade através da gravidez. Outras não.

Eu nunca fiquei grávida. Eu não fui impedida de ser mãe!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...