sábado, 10 de março de 2012

O uso da Chupeta

Postado e Escrito por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens

Eu trabalho com mães diariamente e uma dúvida bem frequente entre elas é sobre o uso ou não da chupeta. Eu não sou fonoaudióloga e nem pediatra, mas como trabalho com estes profissionais há 08 anos, pude aprender algumas coisas sobre o assunto e hoje decidi compartilhar o que eu aprendi aqui no blog.

Se alguma fono ou pediatra nos ler e avaliar que eu escrevi alguma "bobeira" não exite em me corrigir, ok??? Mas como eu disse, vou escrever apenas o que eu aprendi ao longo desses anos de trabalho.

A primeira coisa que aprendi sobre chupetas é que a maioria das crianças não tem necessidade delas, é o adulto quem cria esta necessidade e depois é o adulto quem define o momento de "descriar", causando alguns transtornos para a criança.

Bebês que mamam exclusivamente no seio materno dificilmente aceitam chupeta porque vai muito ao desencontro do natural (bico do seio). É fato que bebês sentem grande necessidade de sugar e até (mais ou menos) 6 meses podem usar também o peito apenas para aliviarem a necessidade e acalmarem-se. A partir dos 6 meses, a mãe pode ir fazendo a transição do peito para outros objetos que também terão como finalidade desenvolver a oralidade, como por exemplo os mordedores. Muitas mães sentem medo de deixar a criança "chupetear" o peito e então torna-la dependentes do seio, mas isso não acontecerá se a mãe souber fazer a interdição no momento certo.

Existem situações em que o bebê é muito agitado, nada sacia sua necessidade de sucção, ou até mesmo a mãe não está disponível física ou emocionalmente para deixar o bebê "chupetear o peito" e acabam optando pelo uso da chupeta. Se isso acontecer é importante tomar algumas precauções.

Uma fono que trabalhava comigo, costumava dizer que deveria se fazer apenas um uso "terapeutico da chupeta". O que seria uso "terapeutico da chupeta"? Seria usá-la de forma a apenas acalmar o bebê.  Dá-se a chupeta e assim que ele se acalmar ou saciar sua necessidade de sucção ou dormir, a chupeta deve ser imediatamente retirada da sua boca. Tomar estes pequenos cuidados evitaria (em grande parte) o número de crianças chupetodependentes.

Infelizmente vemos muitas crianças que ficam com a chupeta na boca o dia todo mesmo quando estão bem calminhas e até mesmo enquanto dormem, podendo causar uma série de prejuízos para o desenvolvimento da criança. Existem os prejuízos físicos, mas eu penso que o pior deles é o prejuízo emocional, pois vai chegar um tempo em que os pais vão querer tirar a chupeta do filho e se ele se tornou um chupetodependente vai sofrer bastante. Acho que todos conhecemos histórias de crianças que sofrem mais do que deveriam em momentos como este ou pior ainda histórias de adultos totalmente despreparados que usam péssimos recursos para a retirada do acessório, como por exemplo histórias assustadoras, castigos, uso de pimenta, substâncias amargas e etc.

Quando não se consegue tirar a chupeta até por volta dos dois anos, podemos contar também com os prejuízos sociais, pois a criança começa a criar um isolamento ou por vergonha ou por não interagir adequadamente com outras pessoas devido estar com a chupeta na boca.

Sabemos também que existe o risco de prejudicar a formação da arcada dentária, mas sobre este problema eu não tenho conhecimento para falar o que ocorre.

Uma outra coisa que a fono que trabalhava comigo sempre falava nos grupos de mães era sobre a posição da língua. Se você estiver em repouso agora, observe onde está a ponta da sua língua. Ela deverá estar encostada no céu da boca. Se você tem um bebezinho em casa, tente abrir a boquinha dele quando ele estiver dormindo profundamente. A língua deverá estar enconstada no céu da boca. Essa é a posição correta da língua. Quando o bebê está com a chupeta na boca, estará impedido deste mecanismo natural, pois a língua ficará abaixo do bico da chupeta. Crianças que ficam grande parte do tempo, inclusive enquanto dormem com a chupeta na boca, ficarão com a língua flácida, pois a musculatura estará sendo exercitada para permanecer no sentido oposto ao que realmente deveria. Se a musculatura da língua ficar flácida a criança terá dificuldade para pronunciar algumas palavras, pois a língua não terá força para subir até o céu da boca e ela falará com a língua por entre os dentes. Algumas letras exigem que levemos a língua até o céu da boca para serem pronunciadas, tais como: L, T, D.

Existem também os riscos de tornar o bebê um respirador bucal, uma vez que a boca nunca estará fechada como deveria. O respirador bucal não dorme bem a noite, não descansa adequadamente e por consequência pode ter prejuízo no desenvolvimento e ser uma criança mais irritada.

O uso frequente de chupeta também aumenta as possibilidade de adoecimento, pois é um grande condutor de contaminações.

Bem... estas foram as coisas que eu me lembrei, mas imagino que deva existir muitas outras coisas sobre o assunto. Eu não sou 100% contra a chupeta, mas acho que as pessoas deveriam tomar mais cuidado com o seu uso, para que ela ajude e não atrapalhe.

Se você está passando por algum momento difícil por causa do uso ou não da chupeta, com dúvidas sobre como proceder sugiro que você procure um profissional qualificado para te ajudar e orientar.

Se você quiser compartilhar sua experiência ou alguma dica, faça um comentário. Tudo será muito bem vindo.

7 comentários:

Karla Koerich disse...

A minha filha mamou um ano e meio no peito; seis meses exclusivamente no peito e um ano já comia comidinhas, mas continuava mamando. Ela nunca usou chupeta nem mamadeira; passou do peito direto para os copinhos e quando eu fui desmamá-la também foi sem dramas; percebi que o peito era mais uma distração do que uma refeição, daí fui ao médico e pedi que ele me desse um remédio pra secar o meu leite. Em uma semana, ela estava de boa. =D

Renata Palombo disse...

Obrigada por compartilhar Karla! Sua experiencia vem de encontro ao fato de q cças q mamam só no peito dificilmente usam chupeta.

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Renata, excelente o seu texto! Eu também não sou totalmente contra a chupeta e minha Julia usou até quase 3 anos. Eu gostaria de ter tirado antes, mas não foi possível devido ao momento que estávamos vivendo. Mas foi só tudo voltar ao normal que ela mesma largou.

Mas claro que nem todas as crianças são assim e acho suas observações super válidas. Se é pra usar que seja o mínimo possível e que seja tirada brevemente.

Muito bom vc dividir essas observações com a gente!

Beijos
Syl
http://minhacasinhafeliz.blogspot.com/

Juliana disse...

Pra variar otimo texto. Sua capacidade de nos levar a refletir sempre eh mto boa. Eu tenho um bb de tres meses e tenho q confessar q nao fui tao forte como queria ou me planejei. No meu cha de bb recusei me a pedie chupeta e mamadeira. Acontece q com vinte dias meu peito estava carne viva, mto sangue e consequentemente QUE DOR. A qualidade da mamada era pessima, e o sentimento q eu dedicava era de raiva. Foi entao, sem pressao de ninguem, q decidi dar mamadeira. Confesso q pedi q minha mae e marido dessem e eu fui pro quarto onde chorei quase duas horas. Senti culpa, remorso, fraqueza, medo dele nunca mais pegar o peito, uma coisa horrivel e desnecessaria, afinal eu estava fazendo uma escolha pro meu bem. Enfim, repeti isso nais umas cinco vezes e recuperada do bico gracas a Deus nao dei mais e estamos so no peito. Um dia, ja com dois meses me peguei com ele no peito das oito as onze, desesperada me rendi a chupeta, com bem menos culpa mas temerosa q ele largasse o peito, mas fiquei feliz q ele recusou a chupeta, teve ansia e so pega agora qndo ta mto nervosi e eu sem paciencia. Mas ele acalma e tiro, nao quero q se habitue. Mas to deixando rolar. Tenho minhas crencas, opinioes, metas mas tambem limite. So sei q quakquer das minhas escolhas, erradas ou certas, faco pensando no melhor, ainda q I melhor seja mais pra mim q pra ele. Parece egoista, mas acredito q ele fica bem se eu estou bem.... Ate pq antes me asseguro q suas necessidades estejam todas atendidas.

Daniella Jacinto disse...

Minha filha esta com um ano e oito meses e nunca quis pegar a chupeta e também não forcei, apenas uma vez que peguei ela dormindo como dedo na boca e fui tirei o dedo e coloque a chupeta. A na boa foi muito engraçado, quando ela acordou olho para aquele objeto estranho na boca tirou e jogou longe. Ela dorme e vive tranquilamente sem a chupeta e não temos nenhuma em casa. bjs

Célia Bittencourt disse...

Olá, conheci seu blog através da Claudia Gimenes. Meu nome é Célia, me formo Fonoaudióloga esse ano e quero te dar os parabéns pelo texto e até mesmo te agradecer por compartilhar esse conhecimento com outras mães, pois é muito importante que saibam que a chupeta, por si só, não é vilã. O seu uso excessivo e indiscriminado é que leva a criança a ter prejuízos emocionais e desenvolvimentais.
Serei mãe em breve, por adoção e adorei outros posts seus.
Estarei sempre por aqui.
Bjs.

Renata Palombo disse...

Célia, muito obrigada por ter deixado um comentário. Fiquei lisonjeada com suas palavras principalmente por vir de uma fono, não é??? Nos visite sempre sim... Gde abraço...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...