segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Evite os acidentes Domésticos

Escrito e Postado por Renata Palombo

Fonte: www.sxc.hu

Crianças gostam de explorar e sentir o mundo, no entanto esta exploração pode significar, muitas vezes, riscos de acidentes. Nem sempre é possível impedí-los (fatalidades acontecem), mas tem muitas coisas que podemos fazer sim para evitá-los.

Você sabia que 90% dos acidentes com crianças são evitáveis e previsíveis? Um número bem alto, não?

As crianças, principalmente as menores, não entendem os perigos que correm ao manusearem certos objetos ou tomarem certas atitudes por isso os pais precisam entender o universo infantil. Os acidentes podem ocorrer por falta de atenção e de informação dos responsáveis. Situações aparentemente inocentes podem gerar graves consquências.

Em época de férias aumentam os acidentes domésticos, devido maior tempo livre e maior agitação das crianças. O número de tombos de muros, árvores, bicicletas afogamentos aumentam bastante e as vezes são situações muito graves apesar de que a maioria não é letal.

Os riscos começam a aumentar quando as crianças começam a andar. Dos 2 aos 4 anos é mais comum a queda e a partir dos 7 anos é mais comum acidentes envolvendo bricadeiras de aventuras.

Em casa é preciso tomar cuidado com portas abertas, pisos molhados, sacadas e  janelas desprotegidas, objetos cortantes, fogo, panelas quentes e etc.  Se tem crianças nos primeiros anos de vida é necessário tomar cuidado também com corpos estranhos, pequenos, como por exemplo grãos, porque podem ser aspirados facilmente sendo uma das principais causas de morte de crianças nesta faixa etária.

É fundamental ter sempre visivel telefones de médicos e hospitais. Isso pode ajudar muito na hora da urgência.

Até os 4 anos a criança não entende conceitos como morte e perigo e misturam muito a realidade e a fantasia, por isso não dá pra achar que se ela sofreu um acidente aprendeu a lição e não fará mais.

Os pais precisam entender que os riscos mudam conforme as fases da criança.

Casas com escada precisam ser protegidas por portas ou portões, com trava. Produtos de limpeza nunca devem ficar ao alcance das crianças nem subindo em móveis.

Crianças são naturalmente curiosas e tendem a imitar o comportamento dos adultos, nessa fase da imitação dos pais existe uma tênue linha que separa a possibilidade de aprendizagem da possibilidade de acidentes.

É necessário cuidados, mas é importante não ir para o outro extremo de tentar enclausurar crianças em bolhas de proteção. Vejo pais muito mais preocupados em esterilizar o percurso das crianças do que preocupar-se com possíveis acidentes. Na fase de se arrastar e engatinhar o cuidado excessivo com limpeza é desnecessário. Ao contrário do que muitos pensam a criança deve ter contato com a terra, areia, outras crianças e com o meio ambiente de forma geral, pois dessa forma a criança adquire microorganismos que fortalecem sua resistência imunológica. Lembrem-se que o básico é quase sempre o mais seguro.

Deixar crianças sozinhas também é muito perigoso. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é muito claro ao estabelecer que crianças não devem ser deixadas sozinhas sem a presença de um adulto.

Manter o filho seguro dá mesmo muito trabalho. Mas quem disse que ter filhos seria fácil?

A missão de protegê-los é, em primeiro lugar, dos pais.

Um comentário:

Juliana Palombo disse...

eu preciso triplicar em atenção . o meu só tem dez meses e já tem mais roxo do q eu em 28 anos de vida kkkkkk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...