terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Pais e Filhos

Postado por Renata Palombo
Escrito por Juliana Moraes e Silva
Fonte: Google Imagens

Convidei a Ju para escrever um texto para o meu blog enquanto ela ainda estava grávida, mas como tudo tem seu tempo determinado, o texto dela só pôde "nascer" depois do seu lindo filhinho, o que talvez tenha sido fundamental para que saísse tão bom. Segue:
Naquela manhã eu chorei... Peguei meu vestido preto bem acinturadinho um tanto quanto curto, que deixa as pernocas meio de fora. Agora os botões em cima fecham, mas com um pouco de sacrifício, eu confesso, o que valoriza ainda mais a silhuetinha... fiu, fiu! Pensei ao olhar no espelho exatamente sete dias depois de dar à luz meu bebezinho, coisa mais linda do mundo. Era a primeira consulta médica após o parto.
Era também a primeira vez que iria sair de casa e com o bebê. Queria provar para mim mesma que eu conseguiria me sentir como as artistas de televisão que, meia hora depois do parto parecem que só fizeram um pouco de academia, o que justifica cara de cansada com um "corpitcho" cem porcento!
É claro que, com um auxílio de uma cinta super apertada que mal me deixava respirar e com a ilusão de ótica que meu cérebro criou para ajudar, me fazendo achar que o vestido não estava apertado eu fiquei bem feliz naquela manhã, mal sabendo que dali a pouco borraria a maquiagem chorando...
Lá ia meu marido dirigindo e contando mil histórias enquanto eu, sentada no banco de trás cantarolava as músicas da rádio, namorando meu pequeno príncipe dormindo em seu bebê conforto. Mesmo tendo cantarolado aquela canção por uns 20 anos da minha vida, cantei pela primeira vez aqueles versos. Música batida, todo mundo sabe... E a minha arrumação pela primeira vez perdeu o foco, ficou em último plano... Como seria dali pra frente.
O que levaria a moça a fazer isso? Pela descrição ela deveria morar num belo apê, daqueles que são bem chiques, um por andar. Seus pais deveriam dar tuuudo pra ela, mas por que ela não se abriu com eles? Por que eles não sacaram o que ela estava sentindo? E a música começou....
"Estátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu.
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada é fácil de entender.
Dorme agora,
é só o vento lá fora.
E namorando meu bebezinho que dormia como um anjo, pensei: quantas dessas frases eu vou ouvir da boca dele? Quantas eu disse? Meu Deeeus!! E uma lágrima escorreu...
Quero colo! Vou fugir de casa!
Posso dormir aqui com vocês?
Estou com medo, tive um pesadelo
Só vou voltar depois das três. (que meeedo! rs)
E aí eu percebi que para ele e por ele eu já fazia em tudo o melhor que eu pudesse! E chorei de novo.
Meu filho vai ter nome de santo
Quero o nome mais bonito.
Então me dei conta do amor de Deus por mim. E do que Ele espera de mim no mundo, não somente como mãe. Pois eu amo meu filho incondicionalmente, como se eu só pudesse amar tudo de uma vez no dia de hoje apenas... E mais choro...
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há. (não há meeesmo)
Já no coração, antes de existir fisicamente eles já começam a tomar conta de nós
Me diz, por que que o céu é azul?
Explica a grande fúria do mundo
São meus filhos
Que tomam conta de mim.
Chorei ao pensar quantos pais e quantos filhos o mundo acolhe...
Eu moro com a minha mãe
Mas meu pai vem me visitar
Eu moro na rua, não tenho ninguém
Eu moro em qualquer lugar.
Já morei em tanta casa
Que nem me lembro mais
E chorei ainda mais quando notei que meu filho tem o privilégio de dizer...
Eu moro com os meus pais.
É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.
E se eu penso que sou a única que sente tudo isso e que nunca um dia imaginou que todo esse sentimento viria à tona. Que já brigou, que reclamou, que já dormiu revoltada e que hoje está aqui sendo mais “pais” do que “filhos”... Sim, comecei a perceber tudo...
Sou uma gota d'água,
sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não te entendem,
Mas você não entende seus pais.
Você culpa seus pais por tudo, isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser,
Quando você crescer
Pode parecer brega, piegas, o que for, mas vi versos reais numa música. E quando o último deles tocou, gritou. E entendi o ciclo da vida... e chorei ...

6 comentários:

Juliana disse...

Ju, parabens pelo primeiro de mtos posts, pois se esse sentimento so crescer, com ele mtas historias, emocoes e pelo visto cancoes q dividira conosco, leitores e leitoras desse otimo blog. Beijos

Jaqueline disse...

me arrepiei toda Jú , parabéns muito Lindoo ,

Stella Furtado disse...

Juliana, meu marido trabalhou com você na Monções(Leonardo). Foi ele, inclusive, que me disse para ler o seu texto. Simplesmente lindo!!! Quando temos um filho, principalmente o primeiro filho, tudo muda de ótica diante dos nossos olhos. É algo que não sabemos explicar antes deles virem ao mundo.
O que você escreveu é a mais pura e simples verdade... Temos uma meninão lindo, que ontem era meu bebezinho e hoje já é um rapazinho do "alto" dos seus 3 anos de idade. Cada etapa é única e maravilhosa por si só. Por isso, o meu conselho pra você é: APROVEITE O MÁXIMO... O tempo passa MUITO rápido!!! Beijos

Juliana M&S disse...

Jú e Jaqueline, muito obrigada... Nosso coração, quando vira coração de mãe, nos surpreende... Certamente teremos muitas coisas boas pra compartilhar!!! bjs

Juliana M&S disse...

Oi Stella !! que bom que gostou !!! Realmente tudo muda né ? Como esse serzinho tão pequeno tem essa capacidade não é ? Acredito que é de Deus mesmo!! E nem me fale em meu bebezinho crescer por enquanto rsrsrss
Bjsss

Cris Fagá disse...

Esse é realmente para choraR!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...