sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Abandono e Quebra de Confiança

Postado e Escrito por Renata Palombo
Fonte: Google Imagens

Domingo eu acordei com meu filho chamando pelo pai, procurando-o por todos os cômodos da casa. Ao constatar que o pai não estava em casa, ele jogou-se ao meu lado na cama aos prantos, questionando porque o pai não o havia levado para o futebol conforme tinha prometido na noite anterior.

Enquanto eu organizava minhas idéias para entender o que estava acontecendo, deitei a cabeça dele no meu braço e acariciei suas costas solicitando que ele se acalma-se. Então me lembrei que o pai realmente tinha prometido leva-lo junto ao futebol.

Senti um gelo no coração pensando na possibilidade de que meu marido realmente o tivesse deixado para trás e já comecei a pensar em uma série de alternativas que poderia compensá-lo deste incidente tão desagradável. Pensei em propôr um passeio no shopping, um filme no cinema, pensei em me convidar para jogar video-game com ele... passou pela minha cabeça também arranjar algumas desculpas para justificar o comportamento do meu marido (tudo isso em questão de segundos), foi então quando eu me lembrei que antes do futebol, meu marido havia se programado para ir ao supermercado. Aliviada pude confortar meu filho dizendo que o pai estava no supermercado e que logo chegaria para buscá-lo.

Que coisa boa foi vê-lo limpando as lágrimas com o rostinho aliviado.

Levantei da cama, muito antes do que eu gostaria, e fui ajudá-lo (com muito prazer) a se arrumar para o tão desejado futebol, logo o pai chegou e sairam juntos, empolgados...

Situação que, para nós, parece até meio boba... mas que peso tem para a criança, não é? Fiquei pensando em como pouca coisa pode fazer uma criança sentir-se completamente abandonada, como é fácil acabar com a confiança de uma criança em nós. Assim como também é bem fácil conquistá-la.

Me doeu o coração lembrar que no mundo existem inúmera crianças "abandonadas" aos próprios cuidados. Algumas estão por aí entregues aos cuidados de irmãos maiores que muitas vezes também são crianças.

Quantas estão por aí "abandonadas" por pais que mesmo presentes fisicamente tentam fugir da realidade através do uso excessivo de alcool e drogas?

Me doeu o coração pensar que existem crianças que, sem entender os motivos, são retiradas de suas famílias de origem e são levadas para casas de acolhimento. Sabemos que estas ações são necessárias e extremamente importante para protegê-las, mas para a criança que pouco consegue compreender, deve ser muito difícil dormir e acordar no dia seguinte num lugar estranho, com pessoas estranhas e sentir na carne o "abandono" e a separação das suas figuras de referência.

E como deve doer ter a confiança constantemente quebrada por esperar uma visita que não aparece... e que quando aparece precisa ir embora e te deixar novamente para trás.

Talvez eu devesse parar de pensar nestas coisas tão "distantes" da minha realidade e pensar naquilo que EU faço no dia-à-dia para quebrar a confiança dos meus filhos ou causar-lhes sensação de abandono, como por exemplo, contar uma mentira, não cumprir uma promessa, dar um castigo injusto, gastar mais tempo com coisas menos importante que eles, chegar atrasada para buscá-los na escola, entre tantas outras...

Mas pra mim é inevitável pensar naquelas outras coisas que estão tão "distantes" da minha realidade e ser muito grata a Deus porque em uma situação "boba" como a que aconteceu no domingo, eu estava lá para acalentar meu filho e dizer que tudo não passava de um mal entendido... ser grata a Deus porque meu marido tinha ido apenas ao supermercado e voltou para cumprir sua promessa.

Me alegra o coração saber que tudo não passou de um susto e que aquelas coisas tão "distantes" da gente, continuarão distantes para sempre...

10 comentários:

Clau Finotti disse...

Oi Renata!

Que bom que seu filho tem você! Realmente, muitos não tem a mesma sorte. Já fiquei de coração partido de ver no abrigo crianças de noite chamando: Papai, Mamãe... E muitos funcionários despreparados não sabem dar nenhum carinho nessa hora. É de doer tanto abandono.

O que é pequeno para nós pra uma criança pode ser o mundo desabando.

Beijos e bom sábado.

Clau

Juliana disse...

Esse post me fez lembrar da citacao de ontem na meditacao matinal, q diz assim: pais cristaos levam a serio a funcao de pais. Entendem q ao desempenharem a tarefa delicada de moldar valores e atitudes , representam Deus Na vida dos pequenos. de alguma forma, apesar de nossas falhas, coisas boas acontecem, pois Deus e grande e ana nossos filhos mto mais que o fazemos.
Mto me tranquiliza saber q esse e um lar cristao. Bj e pra variar otimo texto... Reflexivo e dinamico. Bj

Renata Palombo disse...

É Clau, para as cças muitas coisa se tornam monstros!

Renata Palombo disse...

Ju, ter ajuda de Jesus é essencial!!

Alex Trindade disse...

Não posso jamais deixá-lo para trás, mesmo pq ele tb ama ir ao fut (esse é meu garoto!!!rsrs), mesmo q seja p dar alguns chutes antes, "DURANTE" e depois do jogo...Até a galera do fut estranha nas poucas vezes q vou sem minha "sombrinha"...kkk
Texto muito reflexivo, dá um "nó na garganta" só de pensar nas várias situações que existem por aí e q tb infelizmente cometemos por menor q seja qdo falhamos com nossos filhos...
Por isso, q devemos ser gratos à Deus por Sua ONIPRESENÇA e ONIPOTÊNCIA, e pedirmos sabedoria p q possamos suprir as necessidades de nossos filhos como Deus assim o faz c as nossas...

Lane Borges disse...

olá meu nome é lane sou mãe do coração e da alma como costumo dizer de um menino lindo que se chama Ryan Gabriel ele nasceu de min desde o dia em que a mãe biológica quiz interromper a gravidez e eu a impedi desde que nasceu está com a gente mais é engraçado ele é mto carinhoso e tem mto medo de ficar só e isso me dá sempre esse mesmo aperto que vc sentiu tento suprir como posso aliás como podemos eu meu esposo e nossa filha de 16 anos ele sofre mto quando temos que ir a algum lugar e ele fica mais quando voltamos nossa damos todo carinho que podemos ele tem tanto amor !!!

Renata Palombo disse...

Lane, q vontade q dá de enfiar eles embaixo das nossas asas e nao deixar sair nunca mais, ne?? Rsrsrsr Mas sabemos q devemos deixa-los crescer... Deus nos ajude nessa missão!

Cris Fagá disse...

é muito triste mesmo frustrar os planos das criançAs. Me lembro que uma vez o Guilherme teria um jogo importante na escola. E eu tinha um projeto a apresentar no trabalho. Tudo o que eu mais queria era estar com ele naquele momento. Mas eu me virei e disse: Gui, provavelmente eu nao va chegar a tempo de ver seu jogo. Mas nem por isso te amo menos. De algum jeito eu vou estar por la. No dia do jogo fiz um cartaz bem grande em cartolina e dei para a minha mae levar: - Estava escrito, eu nao estou aqui, mas continuo torcendo por voce.
Consegui chegar no finalzinho do jogo, nos ultimos minutos. E quando ele me viu, ele me abraçou bem forte e disse: quando eu vi o cartaz, eu fiz um gol para voce.

Renata Palombo disse...

Q lindo isso q vc fez Cris!!

Karla Kayrone disse...

Oi linda!! Encontrei seu cantinho no clube das mães blogueiras!!! Adorei!! Adoraria ficar sua amiga!!! Meu blog:http://karlakayrone-servicosocialepedagogia.blogspot.com.br/
Bjosss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...