segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Pai de Adolescente

Postado por Renata Palombo
Escrito por Rosely Sayão
Fonte: www.sxc.hu

Na reunião escolar da minha filha recebemos da escola um texto de Rosely Sayão com o título "Pai de Adolescente", achei o texto muito interessante e resolvi publicá-lo aqui, na íntegra, conforme a escola nos passou:

"-Que saudades eu tenho daquele que era meu filho, que falta eu sinto da minha criança.-

Esse lamento eu ouvi da mãe de um jovem de pouco mais de 14 anos, mas expressa o sentimento de muitos pais que passam pela difícil fase em que o filho chega à adolescência. De uma outra mãe, ouvi queixa de que, para o filho, parece que ela não existia mais.

Sim, a adolescência é fase de grandes transformações. Isso todo mundo já sabe. Mas transformações só do filho que vive esse período de vida? Não! dos pais também, da família inteira.

Claro que é muito mais fácil os pais perceberem as mudanças que ocorrem com o filho. As físicas salta à vista: o corpo muda nessa fase com velocidade sem igual. Já as mudanças emocionais e mentais passam por um período de pura instabilidade, como essa que experimentamos agora.

Mas não é assim tão fácil os pais perceberem que eles também mudam, e muito, na tentativa de adaptar-se às mudanças do filho. Criança dá trabalho: sobe, desce, reclama, faz birra, chora à noite, que o que não pode, teima, briga, bate a cabeça na parede. Mas ela retorna sempre ao aconchego e à proteção dos pais, seja, ela baseada no medo ou no amor. É também sempre aos pais que os filhos pequenos procuram quando têm alguma dúvida, medo e ansiedade. Essa é a segurança que os pais sentem com os filhos pequenos. Mas tuso isso se desmancha no ar mais ou menos 12 anos depois do nascimento.

A partir dessa idade, às vezes um pouco antes ou um pouco depois, os filhos já não acham os pais as pessoas mais apropriadas para conversar quanto têm alguma dúvida, principalmente se ela está ligada ao corpo, à sexualidade. Ouço frequentemente os adolescentes dizerem que os pais são abertos ao diálogo, mas que, mesmo assim, não querem fazer a eles perguntas que a mim dirigem.

É a partir dessa idade também que os filhos preferem outro tipo de aconchego quando sofrem com alguma insegurança ou temor. Como se não bastasse, é nessa idade que os filhos passam a fazer amizades por conta própria na escola, no clube ou no prédio onde moram.

É nessa idade que eles descobrem que não devem contar com os pais como anjos da guarda, apesar de ainda quererem isso, e muito. E é nessa idade que eles começam a mudar o jeito de ser, a procurar saber quem são e o que querem.

Claro que os pais não ficam indiferentes a tudo isso. Como poderiam? Desde o nascimento do filho, eles passam a aprender cada dia um pouco como ser pai ou como ser mãe daquele filho. E, de repente, tudo o que eles ensinaram parece que desaparece no ar, toda a compreensão que eles tinham do filho fica sem referência. É preciso que os pais percebam que eles mesmos estão implicados nessa confusão que ocorre na vida do filho e que ousem mudar também.

O mais difícil nessa história é os pais admitirem que estão perdendo o fiho e, junto com ele, a imagem de pais que eles construíam para si. Por isso talvez mais importante para pais de adolescentes seja que eles se compreendam, em vez de tentarem compreender o filho.

O filho vai ficar irreconhecível em muitos momentos? Vai. Vai ter ataques de raiva e ódio? Vai também. Vai testar a tolerância dos pais ao extremo? Sem dúvida! Vai sentir-se culpado por tudo que acontece? Como vai! Mas e os pais, como reagem a todas essas novidades? Tentando resgatar o filho acabam de perder? Vivendo a saudades?

Ser pais de filhos adolescentes axige grandes mudanças também. E para tanto é preciso se questionar, se atrever, se reinventar como pai e como mãe. E, principalmente, saber respeitar o filho nas diferenças que ele, pouco a pouco estabelece."

ROSELY SAYÃO é psicóloga e autora de "Como Educar Meu Filho?" (Publifolha)    

Se você gosta dos textos de Rosely Sayão, talvez vá gostar de ler também: "Quem é especialista na sua criança?"

3 comentários:

Anônimo disse...

Mto bom.... Obrigada por partilhar o texto e ajudar com q nos reinventemos... Dicas São sempre boas.
Ju p.

Anônimo disse...

Adorei o texto... Dicas ótimas para q nos reinventemos enquanto pais.

Joyce Martins disse...

Fase difícil mesmo,até mesmo de auto conhecimento,fase que temos de dispor de mta paciência,tolerância e compreensão ate pq os adolescentes um dia fomos nós!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...