segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Descobrindo a "Tiaternagem"

Escrito e Postado por: Renata Palombo

Vou ser tia! Quer dizer, já sou tia!

Sinto-me muito grata a Deus porque em tão pouco tempo descobrindo o que é ser mãe ele me presenteou com a oportunidade de também descobrir o que é ser tia.

Outro dia fui a uma loja de gestantes comprar um "minhocão" para minha irmã e para uma amiga, ambas gestantes de aproximadamente 30 semanas. Antes de ir a loja minha irmã me aconselhou a não me endividar e eu desconsiderei achando o conselho sem muito propósito.

Na loja fiquei "enlouquecida", encantada com tudo o que existe para gestantes e bebês, sonhando com cada roupinha, com cada acessório em meu sobrinho. Peguei o telefone celular e liguei primeiro para minha irmã e depois para minha amiga e com a  "maior empolgação do mundo" contei e descrevi para elas cada "maravilha" que eu estava vendo na loja. Nessa hora entendi o conselho da minha irmã sobre não me endividar, e se num primeiro momento eu ignorei o conselho por não achar necessário, nesse segundo momento eu ignorei por não "conseguir me controlar". Gastei 3 vezes mais do que havia me proposto.

Depois que eu sai da loja me dei conta do quanto tinha sido exagerada no telefonema para elas. Com quase 30 semanas de gestação, muitas coisas já compradas e ganhas, curso de pais e várias feiras de gestantes no currículo, certamente não havia (para elas) nenhuma novidade em uma pequena loja para gestantes e bebês. Entendi que minha "empolgação" nada tinha a ver com o que elas pudessem sentir, mas fazia parte da emoção de ser tia de "primeira viagem", de quem está descobrindo a "tiaternagem". (Aproveito a oportunidade para agradece-las por terem sido legais comigo acolhendo minha animação).

Há algumas semanas dormi com a minha irmã. Acordei de madrugada e coloquei a mão na barriga dela, senti o pequeno bebê mexendo-se sem parar, pra cá e pra lá... Acordei ela na mesma hora dizendo: "Ele está mexendo! Acorda que ele está mexendo!" Minha irmã "meio" mal humorada, talvez pelo sono interrompido, pouco me deu atenção. Possivelmente todas as noites dela têm sido assim e tudo o que ela mais quer agora é poder domir a noite toda para poupar energia para depois que o bebê nascer.

De novo percebi que minha "euforia" fazia parte das minhas descobertas enquanto tia.

Dizem que ser tia é ficar só com o lado bom de ser mãe, porque você aproveita os sobrinhos e na hora da dificuldade "devolve" para os pais. Acho que isso é verdade. Não estou sentindo os incomodos da gravidez, não estou com todas as encanações que estão na cabeça dela, não estou me preocupando com hospital, móveis, moradia... Mas estou curtindo muito viver, sonhar e descobrir tudo isto.

Aliás estou descobrindo também um novo tipo de amor. É o "amor por extensão": o amor q sinto pela minha irmã se estendendo na mesma intensidade por um ser que eu ainda nem conheço...

3 comentários:

Juliana Palombo disse...

A tiaternagem é tao boa e tao especial, que a autora desse blog (minha irmã) antes mesmo de viver essa experiencia, me presenteou em um ano com dois EXCEPCIONAIS SOBRINHOS.... Nati e Diego. Digo com prioridade que a tiaternagem transforma UMA pessoa.

Cris Fagá disse...

Que coisa mais linda!!!!
A minha irma foi assim tambem, em cada gestaçao minha....
Parece que estou vendo ela falando ...

Renata Palombo disse...

Ai, Cris!! É tão bom isso...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...